Tendências financeiras para 2018: como elas podem impactar sua empresa

Sem dúvidas, 2017 foi um ano sólido porém turbulento para os serviços financeiros. Foram diversas convulsões políticas, incerteza econômica e planejamento para numerosas mudanças regulatórias que entraram e entrarão em vigor em 2018, impactando as tendências financeiras que dominarão esse ano.

Enquanto os eventos políticos continuarão impactando os serviços financeiros nos próximos meses, a digitalização e os dados dominarão o cenário ao lado da inteligência artificial e do Blockchain. Tudo isso preparando o caminho para o crescimento e inovação sem limites.

Pensando nisso, abaixo preparamos um compilado para que você conheça as principais tendências financeiras para 2018 e veja como elas poderão impactar o seu trabalho! Acompanhe:

Tendências financeiras: um futuro de dados e robótica

O acesso a uma infinidade de dados e a capacidade de extrair informações importantes deles serão fundamentais para tudo o que acontece no futuro dos serviços financeiros. Agora que os dados são carregados online e possuímos os conjuntos de ferramentas necessários para entendê-los, 2018 será o ano em que seu uso será popularizado nas operações e serviços do setor.

O Robotic Process Automation (RPA, ou no português Automação de Processos Robóticos), que usa robôs para imitar a atividade humana, tem potencial para desbloquear ainda mais valor. Ele libera funcionários para se concentrar em serviços estratégicos e, em última análise, transforma a maneira como o setor de serviços financeiros opera.

Em 2018, veremos como isso afetará o RegTech (startups que oferecem soluções tecnológicas para atender as questões geradas pela regulamentação e compliance), análise de dados e, finalmente, como as organizações atendem seus clientes. Um gamechanger para a indústria será o início dos processos para substituir as pessoas por robótica e aprendizagem de máquinas.

Melhorando a entrega multicanal

Outra das principais tendências financeiras do próximo ano, é que os bancos e as cooperativas de crédito verão menos de metade dos seus clientes face a face em 2018. Em vez disso, uma base de clientes cada vez mais digital usará pontos de contato de autoatendimento, apenas chegando aos gerentes ou agências para tarefas e serviços mais complexos.

Esse movimento de interações transacionais para canais digitais significará que as interações entre agências e centros de contato são mais importantes do que nunca na construção de relações humanas com os clientes.

As organizações de serviços financeiros vencedoras fornecerão todo o pessoal de contato com o cliente com as ferramentas digitais necessárias para acessar as respostas mais rapidamente, investindo em pessoal altamente treinado e melhor equipado para usar essas ferramentas e apresentar respostas de alto valor ao público.

Construindo finanças com as Fintechs

No passado, muitas organizações bancárias tradicionais enxergavam as Fintechs como grandes ameaças. E não era para menos. Em seu último Relatório Global Fintech, a PwC descobriu que 88% das organizações bancárias temem perder receita para empresas de tecnologia financeira em áreas como pagamentos, transferências de dinheiro e empréstimos pessoais.  

Hoje, muitos estão vendo esses provedores não tradicionais como uma das fortes tendências financeiras e uma ótima alternativa de reduzir custos. Em outra pesquisa, a PwC descobriu que 30% dos consumidores planejam aumentar seu uso de provedores de serviços financeiros não tradicionais (como as Fintechs), com apenas 39% de planejamento para continuar usando organizações de serviços tradicionais.

Em resposta a este cenário, 82% das organizações financeiras tradicionais, como grandes bancos, planejam aumentar a colaboração com as empresas Fintech nos próximos três a cinco anos, o que mostra a forte tendência de crescimento dessas startups não só para 2018.

Digitalizando as formas de pagamento

Na onda dos serviços financeiros oferecidos pelas Fintechs, o uso de dinheiro em espécie e cheques de papel está sendo cada dia mais eliminado. O cheque digital, por exemplo, uma forma digitalizada de pagamentos pré-datados, tem sido adotado por pequenas, médias e grandes empresas para impulsionar as vendas e formas de pagamento no negócio.

Funciona da seguinte maneira: por meio de um aplicativo, a empresa define junto com o cliente a melhor data para pagamento e o número de parcelas. Em seguida, o cliente recebe todos os dados para pagamento com as datas acordadas e, a cada pagamento realizado, os valores caem diretamente na conta da empresa. Além de diminuir a burocracia, o serviço também aumenta o controle e a ajuda a reduzir a inadimplência para as organizações.

E você, já conhecia algumas dessas tendências financeiras? Conhece alguma outra que chegará com força em 2018? Comente abaixo e compartilhe conosco e com nossos demais leitores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *